30 - abril - 2017

375 cidades marcham pela causa climática e contra Trump

 No Brasil, a manifestação aconteceu em frente ao Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro

Multidão caminha em frente ao Capitólio, em Washington - vídeo CNN
Multidão caminha em frente ao Capitólio, em Washington - vídeo CNN

No centésimo dia de trabalho do presidente americano Donald Trump, uma multidão se reuniu em Washington e em pelo menos outras 375 cidades do mundo na Marcha Global do Clima, contra a política ambiental do presidente Trump, a favor do emprego e da justiça social.

A capital americana Wahington registrou o maior número de pessoas, cerca de 200 mil, na Union Square, perto do Capitólio dos EUA.  Cidades como Miami, Denver, Los Angeles e Chicago também reuniram um grande número de participantes neste sábado (29).

Países como Japão, Filipinas, Nova Zelândia, Uganda, Quênia, Alemanha, Grécia, Reino Unido, Brasil, México e Costa Rica também aderiram à causa. A marcha teve por objetivo pressionar os líderes mundiais a agirem sobre a mudança climática, especialmente Trump, que deu sinais claros de seu ceticismo climático.

No dia de sua posse, eliminou as referências à mudança climática no site da Casa Branca. Recentemente baixou uma lei proibindo cientistas de agências federais, como a Nasa e a EPA (Agência de Proteção Ambiental), de falar sobre ciência do clima. Em sua proposta de orçamento enviada ao Congresso, deslocou dinheiro da EPA, que perdeu 31% de seus recursos, em benefício das Forças Armadas.

Na marcha de ontem, a BlueGreen Alliance, organização que une os maiores sindicatos de trabalhadores dos EUA e suas organizações ambientais, liderou parte do evento com mensagens positivas dizendo que é possível vencer os desafios ambientais mantendo os empregos e construindo uma economia mais forte e justa.

As atividades em Washington começaram no nascer do sol com uma cerimônia liderada por povos indígenas. No Brasil, um grupo pequeno de pessoas se reuniu pela tarde em frente ao Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, com apresentações de dança e atividades lúdicas, e marcharam até o barco do Greenpeace, o Rainbow Warrior, ancorado bem na frente e aberto à visitação popular.

Comentários

O Clima da semana

Assine a nossa newsletter