11 - junho - 2015

Nota do Observatório do Clima sobre a conferência de Bonn

A reunião preparatória de Bonn para a conferência do clima de Paris terminou nesta quinta-feira, com negociações em ritmo lento.

A reunião preparatória de Bonn para a conferência do clima de Paris terminou nesta quinta-feira, com negociações em ritmo lento. Depois de 11 dias de reunião, os delegados de 195 países reunidos na cidade alemã conseguiram reduzir o texto de negociação em apenas quatro páginas, e evitaram discussões substantivas sobre os pontos mais polêmicos do acordo de Paris: cortes de emissões e financiamento aos países em desenvolvimento.

Foi decidido que os coordenadores do chamado ADP, o grupo de negociadores que discute o novo acordo, farão nas próximas semanas uma proposta de texto que resuma as posições dos países, para ser negociado a partir de agosto, num novo encontro em Bonn. Uma novidade da reunião foi a decisão de que o REDD+, o mecanismo de redução de emissões por desmatamento, fará parte do acordo do clima de Paris, algo que não se cogitava até aqui. No entanto, é preocupante ver o Brasil mencionado como um bom exemplo nesse setor, já que o governo tem tomado decisões em REDD+ sem dar ouvidos à sociedade.

“Com o pouco progresso feito, sem nenhuma negociação substantiva em Bonn, o relógio começa a bater para o acordo do clima. São apenas dez dias de negociação formal até Paris agora. A declaração do G7 sobre clima foi uma boa notícia, mas vem tarde demais e oferece muito pouco diante da urgência da crise climática. Quem sabe o Brasil traga alguma novidade nas suas propostas que ajude a quebrar o ritmo modorrento das negociações”, afirmou Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima.

 

Comentários

O Clima da semana

Assine a nossa newsletter