Oceanos ficaram duas vezes mais quentes nos últimos 25 anos

Islet in Funafuti Lagoon, Tuvalu
Islet in Funafuti Lagoon, Tuvalu
DO OC
Um estudo publicado esta semana na revista científica Science Advances revelou em detalhes as razões pelas quais a temperatura da água salgada está mais elevada – e o impacto dessa realidade nas nossas vidas.
Pesquisadores da Noaa, do Centro Nacional de Pesquisas Atmosféricas dos EUa (Ncar), da Universidade de St. Thomas (EUA) e da Academia Chinesa de Ciências constataram que a taxa de aquecimento do oceano quase dobrou desde 1992 em comparação às três décadas anteriores – e já atinge  águas profundas.
Considerado um dos trabalhos mais completos produzidos sobre o tema, o estudo une diversas fontes de informações, como medições recentes detalhadas, laudos históricos de navios, registros de flutuadores, imagens de satélite e até dados de comportamento animal.
Os oceanos, segundo os cientistas, fornecem um dos melhores registros do excesso de energia preso na Terra devido ao aumento de gases de efeito estufa, em grande parte a partir da queima de combustíveis fósseis.
Eles absorvem mais de 90% do calor aprisionado por gases de efeito estufa, armazenando-o por séculos. Eventualmente, parte do calor é liberado para a atmosfera e aquece massas de terra adjacentes.
À medida que os mares se aquecem devido às mudanças climáticas, a água se expande e sobe, causando inundações costeiras. O mar mais quente também provoca a desintegração de plataformas de gelo na Antártida.
O aquecimento do oceano reforçou o El Niño de 2015-2016 e contribuiu para o aquecimento global em 2016. O resultado foi a maior temporada de furacões de todos os tempos em 2015 e ondas de calor, secas e incêndios em todo o mundo no ano passado.

Comentários