08 - agosto - 2017

Representantes do OC ganham prêmio ambiental

Organizações foram reconhecidas por boas práticas de gestão e transparência no terceiro setor

Sete organizações membros do OC foram reconhecidas em prêmio da Revista Época e do Instituto Doar. Foto: divulgação
Sete organizações membros do OC foram reconhecidas em prêmio da Revista Época e do Instituto Doar. Foto: divulgação

Sete membros do Observatório do Clima foram destaque no guia das 100 Melhores ONGs do Brasil em 2017, prêmio organizado pela Revista Época e pelo Instituto Doar, em cerimônia realizada nesta segunda-feira (7), em São Paulo. Esta foi a primeira edição do prêmio que reconheceu boas práticas de gestão e transparência no terceiro setor, incentivando a cultura de doação no Brasil.

São elas: a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam), o Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ), o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), o Instituto Socioambiental (ISA), a SOS Mata Atlântica e a WWF Brasil. “O prêmio é um reconhecimento da dedicação e da seriedade das organizações que integram a rede”, disse Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima (OC).

Para Márcia Hirota, diretora-executiva da SOS Mata Atlântica, o prêmio serve de inspiração e dá forças para que a instituição “continue avançando em prol da causa ambiental e do interesse coletivo”. O diretor-executivo do Idesam, Carlos Koury, reforça a importância de “engajar e valorizar a equipe”. Maurício Voivodic, diretor-geral do WWF-Brasil, disse que a premiação é um grande estímulo a todo o terceiro setor. “É um estímulo à profissionalização, em especial no que se refere à transparência na origem e no uso dos recursos”.

O diretor-executivo da SPVS, Clovis Borges, afirma que o reconhecimento externo é essencial para a evolução da organização. “A gente depende de pessoas e empresas que confiem nosso trabalho”, afirmou. A co-fundadora e presidente do Instituto Ipê, Suzana Pádua, disse que o prêmio representa uma espécie de selo de credibilidade que “revigora as energias e inspira outros parceiros a continuar em sua missão”. A secretária-executiva do Imaflora, Laura Prada disse que o prêmio revela a importância do terceiro setor em temas fundamentais, que carecem do apoio do governo. “A visibilidade do nosso trabalho é importante para que a sociedade se empodere e apoie as ONGs”, disse

O Observatório do Clima é uma rede que reúne entidades da sociedade civil com o objetivo de discutir a questão das mudanças climáticas no contexto brasileiro. O OC promove encontros com especialistas na área, além de articular os atores sociais para que o governo brasileiro assuma compromissos e crie políticas públicas efetivas em favor da mitigação e da adaptação do Brasil em relação à mudança do clima.

Os inscritos foram avaliados por um comitê executivo composto por representantes de ÉPOCA, do Instituto Doar e do Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getulio Vargas, segundo cinco princípios: causa e estratégia, representação e responsabilidade, gestão e planejamento, estratégia de financiamento, e comunicação e prestação de contas. (LUCIANA VICÁRIA)

Comentários

O Clima da semana

Assine a nossa newsletter