10 - novembro - 2017

Sociedade civil aborda retrocessos ambientais brasileiros na COP23

cop23

O Observatório do Clima convida para o evento paralelo na COP23

De líder a lerdo? Como o contexto doméstico do Brasil põe em risco suas metas climáticas

Sábado, dia 11, das 16h às 17h, Talanoa Space, Bonn Zone

O Brasil foi o primeiro país emergente a propor uma meta absoluta de redução de emissões em sua NDC, e recebeu elogios da comunidade internacional pela dramática redução de emissões obtida na última década com a desaceleração do desmatamento na Amazônia. A crise política do país, no entanto, está ameaçando as políticas nacionais de clima: a bancada ruralista ganhou um poder inédito no Congresso e o Executivo vem retrocedendo em regulações ambientais e nos direitos dos povos indígenas. O resultado é que as emissões de carbono do Brasil em 2016 foram as maiores já registradas desde 2008, segundo dados do Observatório do Clima. Neste evento, ONGs brasileiras apesentarão os novos dados de emissões e discutirão como o panorama político põe em risco as metas de emissão do Brasil em 2020 e dá um sinal ruim para o início da implementação da NDC.

Palestrantes:

  • Sonia Bone Guajajara – Coordenadora-executiva da APIB (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil)
  • Maurício Voivodic – Diretor-executivo do WWF Brasil
  • Ciniro Costa Jr. –Pesquisador do Imaflora/SEEG
  • Márcio Astrini – Coordenador de Políticas Públicas do Greenpeace Brasil
  • Carlos Rittl – Secretário-executivo do Observatório do Clima

Veja aqui a programação completa do Talanoa Space

Comentários

O Clima da semana

Assine a nossa newsletter