17 - May - 2017

Três unidades de conservação perderam 597 mil hectares

Na Floresta Nacional do Jamanxim foram 486 mil hectares, uma perda ambiental sem precedentes na história do país

Área Desmatada no Jamanxim (PA). Perda de proteção deve estimular a grilagem e aumentar a violência no campo. Foto Greenpeace
Área Desmatada no Jamanxim (PA). Perda de proteção deve estimular a grilagem e aumentar a violência no campo. Foto Greenpeace

Na madrugada desta quarta-feira (17), após mais de 12 horas de sessão plenária, uma área de mais de meio bilhão de hectares, que equivale ao tamanho de quatro municípios de São Paulo, pode perder a proteção ambiental e aumentar a disputa de terras e a violência no campo. O Parque Nacional do Jamanxim (PA) perdeu 101 mil hectares a menos; a Floresta Nacional do Jamanxim (PA), assustadores 486 mil hectares e o Parque Nacional de São Joaquim (SC), 10,4 mil hectares, cerca de 20% de sua extensão original.

As medidas provisórias originais 756/2016 e 758/2016 enviadas ao Congresso previam desproteger 305 mil hectares. Na análise das comissões mistas, parlamentares ruralistas ampliaram a extensão ameaçada para 1,188 milhão de hectares. Nesta madrugada, porém, o governo recuou após pressão de parlamentares e organizações ambientalistas e a perda final foi a metade do previsto. As MPs seguem agora para o plenário do Senado e, se, aprovadas, vão à sanção presidencial.

Comentários

O Clima da semana

Assine a nossa newsletter