23 - janeiro - 2018

Trump taxa importação de painéis solares

Medida pode reduzir em até 15% o ritmo das instalações nos próximos cinco anos e resultar na perda de 23 mil empregos

Painéis solares ficarão mais caros com o aumento dos impostos nos Estados Unidos (Foto: divulgação)
Painéis solares ficarão mais caros com o aumento dos impostos nos Estados Unidos (Foto: divulgação)

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou um aumento das tarifas de até 50% para a importação de painéis solares, o que pode causar um revés na indústria de energia renovável no país – e distanciar ainda mais o país do desafio de reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

O objetivo da medida é estimular a produção nacional e garantir tarifas mais “justas”, de acordo com a United States International Commission, segundo a qual os produtos vindos de fora são uma causa de prejuízos significativos para os fabricantes nacionais. A comissão também alegou que as tarifas para eletrodomésticos, de um mode geral, precisavam ser reajustadas.

A Whirlpool americana foi uma das principais beneficiadas – e viu suas ações subir 1,8% após o anúncio. A Associação das Indústrias de Energia Solar dos Estados Unidos estimou, no entanto, que o aumento dos impostos pode resultar na perda de 23 mil empregos nos EUA este ano, já que bilhões de dólares em investimentos em energia solar devem ser cancelados.

Com a mudança, o consumidor terá de arcar com custos maiores no ato da compra, o que pode desestimular o consumo. As tarifas provavelmente reduzirão as instalações solares nos EUA de 10 a 15% nos próximos cinco anos, segundo especialistas. Os valores vão depender do tamanho dos painéis solares e diminuem progressivamente ano a ano.

A energia solar é quem mais emprega dentre os renováveis e lidera a expansão mundial do setor. No ano passado, 75 gigawatts foram instalados, o equivalente à potência somada das usinas hidrelétricas do Madeira e do Teles Pires. A China respondeu por quase metade da capacidade instalada, 34 gigawatts, seguida pelos EUA.

O principal relatório anual sobre o estado das energias renováveis no mundo revelou que, em 2016, o mundo adicionou 161 gigawatts – o equivalente a mais de dez usinas de Itaipu – de energia renovável à matriz, um crescimento de 9% em relação ao ano anterior. Mas os investimentos em renováveis caíram 23% no ano passado, o maior tombo em uma década. global abaixo de 2oC.

Comentários

O Clima da semana

Assine a nossa newsletter